quarta-feira, Janeiro 24, 2007

Restaurantes - Adega do Silva

Restaurante de cozinha tradicional portuguesa, onde predomina os pratos de caça e os grelhados.

A decoração é bastante agradável com uma tendência para o rústico, muito em voga hoje em dia. A lotação do mesmo não é grande, tanto que à hora de almoço é necessário esperar algum tempo devido à grande procura que tem. Ainda mais agravada pelo facto que terem a prática dos pratos serem mais baratos à hora de almoço.

Chegando à parte da refeição própriamente dita, as entradas são constituídas por salgadinhos (rissóis e umas bolinhas de carne deliciosas) e queijinhos frescos. No que diz respeito aos pratos, comi picanha à brasileira, que estava muito bem confeccionada, sendo a carnde de muito boa qualidade, muito gostosa e macia. Outro prato que tive a oportunidade de provar foi o arroz de cherne com gambas que é especialidade da casa. Estava uma delícia! Muito bem apalado, com sal qb, o molho estava perfeito e o arroz estava no ponto certo de cozedura. Foi, sem dúvida, um prato que adorei e a repetir depois de provar outras especialidades da casa, tais como, Bife da Vazia à Adega, Bacalhau à Lagareiro e diverso pratos de porco preto.

O site do restaurante é Adega do Silva.

Restaurantes - Nota

Antes de escrever o que quer que seja e de iniciar este tópico no blogue, quero desde já deixar bem claro que não tenho ligação nenhuma com qualquer restaurante que venha a ter uma apreciação. Quanto muito terei uma ligação gustativa, positiva ou negativa, conforme a minha opinião à cerca de cada um.

Nunca escreverei sobre um restaurante a que eu não tenha ido, logo tudo é um relato do que se passou comigo no respectivo local.

Como a minha actividade leva-me a ter que almoçar muitas vezes fora, creio que este tópico vai ter muitas novidades. Espero que gostem...

terça-feira, Janeiro 23, 2007

Receitas - Tarte de Maçã

Ingredientes:
  • 2 canecas de leite
  • 2 canecas de açucar
  • 3 ovos
  • 1 caneca de farinha com fermento
  • 4 ou 5 maçãs
Cortar as maçãs em lascas não muito finas. Juntar o leite com o acuçar e com os ovos. Bater tudo muito bem. De seguida untar uma forma sem fundo falso com margarina e farinha. Colocar as lascas das maçãs no fundo, de modo a que este fique coberto. Deitar o preparado na forma (poderão verificar que as maçãs virão ao de cima). Levar ao forno a uma temperatura média (aqui depende do gosto de cada um, mais cozida, menos cozida pois não existe uma temperatura nem tempo de cozedura definidos). Geralmente, quando está loirinha é porque o preparado líquido já está cozido.
Aconselho que seja servida quente juntamente com uma bola de gelado, ao estilo de um quente e frio.

PS: Pois é, esta receita utiliza aquela famosa medida da caneca. A minha mãe já a faz à muito tempo e eu próprio também mas nunca me dei ao trabalho de converter a medida de canecas para gramas. Para conhecimento de todos, a caneca é uma caneca média, das normais e não daqueles baldes que agora existem :D

Depois de uma pausa o regresso!

Depois de um ligeiro tempo de pausa e com o começo desde novo ano, é tempo de voltar a este maravilhoso tema que é a cozinha portuguesa!

Peço desde já desculpa a todos por ter estado tanto tempo ausente mas como a vida é cheia de mudanças e a minha não é excepção, a falta de tempo nos últimos meses de 2006 foi drástica. A mudança de casa (ainda a decorrer), mudança de projecto de trabalho, as festas e jantares que se combinam na altura do Natal e o cansaço acumulado ao longo do ano foram as causa da minha ausência deste projecto. Tendo já acalmado um pouco todas estas alterações, está na hora de voltar em força e começar este novo ano com muitas, boas e simples receitas que fizeram, fazem ou farão parte da culinária portuguesa!

Um bom ano de 2007 para todos e boas novas na culinária!

terça-feira, Julho 11, 2006

Receitas - Bacalhau Espiritual



Ingredientes:

  • 500 grs de bacalhau muito bem demolhado
  • 200 grs de cenouras
  • 200 grs de cebolas
  • 100 grs de manteiga
  • 50 grs de miolo de pão
  • 1 dl de leite
  • sal e pimenta
  • 2 colheres de sopa de queijo ralado

Para o molho béchamel:

  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 2 colheres de sopa de farinha
  • 5 dl de leite
  • sal
  • pimenta
  • noz-moscada
  • sumo de limão
  • 2 gemas
  • 1 dl de natas
  • 1 clara

Preparação:

Tire a pele e as espinhas ao bacalhau. Rale as cenouras, descasque as cebolas e pique-as. À parte pique o bacalhau. Leve as cenouras e as cebolas a lume brando com a manteiga e deixe cozer um pouco. Junte o bacalhau e deixe cozer um pouco mais. Junte o miolo de pão embebido no leite quente e espremido. Bata tudo de modo a ter um preparado muito fofo. Tempere. Prepare o molho béchamel, tempere-o com sal, e pimenta, noz-moscada e sumo de limão e junte metade da porção ao preparado de bacalhau. Deite num tabuleiro. Junte as gemas, as natas e a clara em castelo ao restante molho e deite sobre o bacalhau. Polvilhe com o queijo e leve ao forno até o preparado superior se apresentar fofo e louro. Sirva imediamente.

sexta-feira, Junho 30, 2006

Receitas - Carne de Porco à Alentejana













Ingredientes:

  • 800 grs de carne de porco tenra
  • 2 colheres (sopa) de massa de pimentão
  • 2 dentes de alho
  • 2 1/2 dl de vinho branco
  • 125 grs de banha
  • 800 grs de amêijoas
  • 1 raminho de coentros
  • 2 folhas de louro
  • 1 limão
  • sal e pimenta q.b.

Preparação:

Corte a carne em cubos com 3 a 4 cm cada e barre-a com a massa de pimentão, o alho esmagado, as folhas de louro, sal e pimenta e o vinho branco. Envolva tudo muito bem e deixe nesta marinada cerca de 3 horas. Entretanto ponha as amêijoas em água com sal durante 2 horas para perderem a areia; findo esse tempo lave-as muito bem em água corrente. Deite a banha numa frigideira grande e quando estiver quente, deite a carne bem escorrida e deixe fritar, mexendo de vez em quando, até ficar frita e loura; junte depois o líquido da marinada e deixe ferver cerca de 2 minutos e junte depois as amêijoas. Vá mexendo e logo que as amêijoas estejam abertas retire do lume e junte os coentros picados. Sirva imediatamente decorado com gomos de limão e acompanhe com fritas aos cubos.

quarta-feira, Junho 28, 2006

Receitas - Bacalhau à Brás













Ingredientes:Para 4 pessoas


  • 400 g de bacalhau
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 500 g de batatas
  • 6 ovos
  • 3 cebolas
  • 1 dente de alho
  • salsa
  • sal
  • pimenta
  • óleo
  • azeitonas pretas

Confecção:


Demolha-se o bacalhau como habitualmente, retira-se-lhe a pele e as espinhas e desfia-se com as mãos.Cortam-se as batatas em palha e as cebolas em rodelas finíssimas. Pica-se o alho.Fritam-se as batatas em óleo bem quente só até alourarem ligeiramente. Escorrem-se sobre papel absorvente.Entretanto, leva-se ao lume um tacho, de fundo espesso, com o azeite, a cebola e o alho e deixa-se refogar lentamente até cozer a cebola. Junta-se, nesta altura, o bacalhau desfiado e mexe-se com uma colher de madeira para que o bacalhau fique bem impregnado de gordura.Juntam-se as batatas ao bacalhau e com o tacho sobre o lume deitam-se os ovos ligeiramente batidos e temperados com sal e pimenta.Mexe-se com um garfo, e logo que os ovos estejam em creme, mas cozidos, retira-se imediatamente o tacho do lume e deita-se o bacalhau num prato ou travessa.Polvilha-se com salsa picada e serve-se bem quente, acompanhado com azeitonas pretas.

quarta-feira, Fevereiro 01, 2006

Enchidos e Fumados - Alheira


Alheira
Apesar de em Portugal serem famosas as alheiras de Mirandela, estas não são as únicas no País. A alheira é um enchido essencialmente de origem transmontana, curado pelo fumo. É composto por uma mistura de carne de vitela com carne de animais de capoeira, devidamente desfiada à qual se junta gorduras macias de porco. Posteriormente a alheira é ainda enriquecida com pão de trigo ou de centeio e condimentada com sal, pimenta alho e azeite.

História
Foi inventado pelos judeus como artimanha para escaparem às malhas da Inquisição. Como a sua religião os impedia de comer carne de porco, eram facilmente identificáveis pelos seus perseguidores pelo facto de não fazerem nem fumarem os habituais enchidos de porco. Assim, substituiram a carne de porco por uma imensa variedade de carnes, que incluíam vitela, coelho, peru, pato galinha e por vezes perdiz, envolvidos por uma massa de pão que lhes conferia consistência. A receita acabaria por se popularizar entre os cristãos, mas estes juntavam-lhe a omnipresente carne de porco. Hoje, as mais afamadas são as de Mirandela, mas por toda a Beira Alta e Trás-os-Montes se fazem alheiras artesanais de excelente qualidade. Geralmente são fritas em azeite e servidas com legumes cozidos. Mas também podem ser estufadas, depois de envolvidas em couve lombarda.

Enchidos e Fumados - Farinheira


Farinheira
A farinheira tem a curiosidade de ser o único enchido cuja tripa não é cheia na totalidade. É curada por fumo e os seus principais ingredientes são a gordura de porco, água e farinha de trigo. Normalmente é ainda condimentada com sal, vinho branco, pimenta e colorau doce. Este enchido tem a particularidade de ter de ser conservado num local fresco, devido à sua composição.
História
Este enchido é igualmente fruto de um truque dos judeus para fingirem que faziam enchidos, logo que consumiam porco, e desse modo escaparem aos inquisidores que os identificavam pelos hábitos alimentares. Em lugar do pão usado nas alheiras, neste caso, e como o nome indica, o elemento de ligação utilizado é a farinha. Hoje, as farinheiras já são elaboradas com a carne entremeada do porco e temperadas, consoante a região, com colorau, massa de pimentão, vinho e, em certas zonas, até com sumo de laranja.As farinheiras podem ser consumidas fritas, assadas no forno ou incluídas no cozido à portuguesa a complementar os restantes enchidos geralmente utilizados na confecção deste prato iminentemente português

O primeiro post...

Sejam benvindos a este blog que é um projecto pessoal que tinha em mente à algum tempo: criar uma referência sobre receitas, restaurantes, história e tudo o mais sobre a cozinha portuguesa.
Apesar de não ser tão conhecida internacionalmente como, por exemplo, a cozinha italiana, penso que quem a prova só a poderá colocar como uma das melhores do mundo!
A sua variedade é tal que é impressionante: legumes, carnes, peixes, doces. Tudo é preparada de um modo tão diverso e com um número infindável de ingredientes que o seu sabor é, no mínimo, delicioso.
Na minha opinião a nossa cozinha é uma das mais variadas do mundo e uma das melhores... Espero comprovar isso com os posts que serão colocados neste blog que deixar água na boca!